Anúncio
POLITICA

PARAGUAI PEDIU AO BRASIL PARA ANALISAR POSSÍVEL EMISSÃO DE DÍVIDA DE ITAIPU

PARAGUAI PEDIU AO BRASIL PARA ANALISAR POSSÍVEL EMISSÃO DE DÍVIDA DE ITAIPU

27/04/2020 23h20
Por: administrador
Fonte: poranews
1.278

O Paraguai já propôs oficialmente ao Brasil analisar a possibilidade de a Itaipu emitir dívida para que ambos os países obtenham recursos para atender às necessidades de financiamento no âmbito da luta contra a pandemia de Covid-19 e suas conseqüências, explicou ontem  o Presidente da República, Mario Abdo Benítez, em entrevista exclusiva à Telefuturo.

 

 "O ministro da Fazenda (Benigno López) conversou com o ministro da Economia do Brasil, ministro (Pablo) Guedes, e levantamos a proposta para analisar a possibilidade de o Brasil e o Paraguai avaliarem os valores, sobre a possibilidade  que Itaipú pode contribuir para esse processo (reativação econômica) nos dois países ", afirmou o chefe de Estado.

 Abdo Benítez esclareceu que essa é uma opção em cima da mesa, mas que sua avaliação ainda não foi estudada em profundidade e que fatores como a manutenção da tarifa de energia e o serviço de pagamento da dívida de Itaipú devem ser considerados.  .

 "Ao pagar US $ 1.000 milhões por ano por lado (paraguaio e brasileiro), em cinco anos uma dívida de US $ 5.000 milhões pode ser coberta para cada país", exemplificou.  No entanto, ele esclareceu que o país vizinho até agora não deu uma resposta.

 Anteriormente, o ministro Benigno López havia se referido a essa mesma alternativa, que ele descreveu como "ideal" do ponto de vista de que não é o Estado que assume a dívida, mas sim o binacional, embora tenha esclarecido na época que  isso requer a aprovação do Brasil.

 RECONVERSÃO

 Em relação ao retorno às atividades de diferentes setores da economia, o presidente reconheceu que um cenário com desafios está se aproximando.  Ele considerou que haverá segmentos que "terão que procurar uma reengenharia";  No entanto, ele garantiu que a economia "será reorganizada" com o passar do tempo.

 Em outro momento, Mario Abdo apontou que nosso país "sofrerá o menor impacto econômico na região" como resultado da situação derivada da pandemia da doença de Covid-19 e também estava otimista de que "o mundo vai querer o que  que o Paraguai produz ”, enfatizando que há uma oportunidade pela frente para impulsionar e capacitar a indústria paraguaia.

 REFORMA FISCAL

 Da mesma forma, Abdo Benítez argumentou que o momento atual não é o ideal para discutir uma reforma tributária imediata e advogou apostar na consecução de "boa gestão de recursos" para prestar melhores serviços ao público em geral.  Isso, no marco do debate público que existe atualmente sobre a eventual aplicação de uma maior carga tributária a setores com baixa contribuição ao Tesouro.

 Falando sobre os bancos e a necessidade de injetar recursos nas empresas (especialmente no caso de micro, pequenas e médias empresas), ele disse que espera que as instituições financeiras "façam esforços" para atender à demanda e que elas  Eles estão em constante diálogo com bancos privados para fornecer ao Banco Central ou outras instituições as ferramentas necessárias para esse fim.  Ele também pediu "procurar soluções criativas e extraordinárias".

 O Presidente da República destacou seu compromisso com a transparência e disse que instruirá suas diferentes secretarias a criar um portal para que sejam conhecidos os custos e detalhes da emergência de Covid-19.

 "Serei e continuarei sendo o guardião do bom uso dos recursos, pelo menos peço que você não duvide desse compromisso", afirmou.

 Presidente confirma que não abrirá fronteiras

 O presidente da República, Mario Abdo Benítez, disse que, acompanhado pela quarentena que será levantada em etapas, o fechamento das fronteiras continuará, porque uma das ameaças à propagação do Covid-19, precisamente, é gerada dentro desses limites.

 O presidente reconheceu que o turismo de compras continuará sofrendo porque as fronteiras não serão abertas.  “Vamos continuar fechando nossas fronteiras, não vamos fazer todo esse esforço para que o vírus entre de fora.  Há análises que dizem que o vírus é fraco no Paraguai porque não possui novos vírus e estamos controlando ", afirmou.

 Em relação ao anúncio nos deputados para promover o impeachment da procuradora-geral do estado, Sandra Quiñónez, é claro que influencia o tráfico, Abdo disse que essa medida é extrema e deve ser analisada.  "O impeachment deve ser uma ferramenta extrema, a menos que tenhamos uma avaliação completa".

 Ele reiterou que "antes do primeiro fato" a sanção máxima de natureza política não é recomendada.

 Deve-se lembrar que o promotor geral estava envolvido com uma medida de benefício por quarentena fora do protocolo para o cidadão Karim Salum.

 Denis Lichi é candidato a Presidente da Petropar

 O presidente da República, Mario Abdo Benítez, durante o programa transmitido pelo Telefuturo Coronavirus no Paraguai, reconheceu que Denis Lichi, ex-ministro da Agricultura, é um dos candidatos à presidência da Petróleos Paraguayos (Petropar), substituindo Patricia Samudio  , que teve que renunciar após o Ministério Público iniciar uma investigação por suspeita de compras em excesso.  Abdo disse que a decisão pode ser tomada amanhã e o estado precisa de alguém "que possa negociar".

 Dada a necessidade de conhecer os custos atribuídos à emergência de maneira detalhada e real, o presidente afirmou que fortalecerá os canais de comunicação.  "Vou instruir para que sejam criados mecanismos de visibilidade da chegada de suprimentos, para que seja cada vez mais público e, assim, garanta mais transparência, principalmente na área de Saúde Pública", afirmou.

 A respeito de alcançar um Estado eficiente no âmbito de uma reforma, ele disse que tem uma proposta imediata que apresentará para estudo.  "Estamos trabalhando com o BID na reforma estrutural proposta para a função pública e a apresentaremos em 15 dias".

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários