Quinta, 16 de Julho de 2020
+595 98274 5952
Polícia policial

INVESTIGAÇÃO EM CONJUTA: ACABA EM PRISÃO O AUTOR DO ASSASSINATO DE JORNALISTAS

INVESTIGAÇÃO EM CONJUTA: ACABA EM PRISÃO O AUTOR DO ASSASSINATO DE JORNALISTAS

29/05/2020 17h34
2.751
Por: administrador Fonte: poranews
INVESTIGAÇÃO EM CONJUTA: ACABA EM PRISÃO O AUTOR DO ASSASSINATO  DE JORNALISTAS

As equipes de investigações da Delegacia de Campo Verde-MT, juntamente com o serviço de inteligência da Polícia Militar de Campo Verde e Chapada dos Guimarães e com a troca de informações com Oficial da Interpol Heriberto Martínez capturaram nesta sexta feira (29) o foragido Wilson Acosta Marques, onde consta mandado de prisão pela Delegacia de Sete Quedas MS, como também captura na lista vermelha da Interpol, por ser o executor do jornalista (Periodista) Pablo Medina Velasquez e sua secretária na Capital Assunção no Paraguai, Wilson Acosta Marques, suposto autor do assassinato de Pablo Medina e Antonia Almada, que ocorreu em outubro de 2014, foi capturada nesta sexta-feira pelas autoridades brasileiras no estado de Mato Grosso, a cerca de 1.000 quilômetros de Amambay, como confirmou Interpol Paraguai. Wilson é o irmão de Wilmar “Neneco” Acosta Marques, condenado pelo assassinato de Medina e Almada a 39 anos de prisão. Ele era o suposto autor do assassinato que ocorreu em uma estrada rural em Villa Ygatymí em 16 de outubro, 2014. O agora detido foi quem agarrou e disparou a arma que acabou com a jornalista e seu companheiro, de acordo com a investigação.

Durante todo desta vez foi em geral. A detento é considerado "uns dos suspeito que faltava" como disse o comissário Wilberto Sánchez chefe da Interpol Paraguai. Wilson Acosta Marques, após sua prisão no Brasil graças a investigação Delegacia de Campo Verde-MT juntamente com o serviço de inteligência da Polícia Militar de Campo Verde e Chapada dos Guimarães. O suposto autor do assassinato de Pablo Medina e Antonia Almada é preso no Brasil "Passamos a invadir uma casa" O oficial militar de Campo Verde, Matto Grosso, e Wilson Acosta foroi preso, acrescentou o Polícia, que também indicou que as autoridades paraguaias vão solicitar a expulsão do detido do Brasil para o Paraguai. Por fim, eles pedirão sua extradição. O primeiro procedimento é mais rápido que o segundo. De Assunção, Campo Verde fica a 1.400 km.

 

Caberia a Amambay, 1.000 km da fronteira aproximadamente. Estamos em contato com o intervenientes e com a Polícia Federal do Brasil. Tem um pouco de processamento burocrático para ir da polícia militar ao federal ”, explicou, teria agido com Flavio Acosta, seu filho, que está preso em uma Prisão brasileira aguardando julgamento oral e público pelo fato. O assassinato de Pablo Medina ocorreu em 16 de outubro de 2014 em torno do 14:20 em uma estrada rural na área da comunidade indígena de Itanaramí, Marchetti, a oito quilômetros do centro urbano de Villa Ygatimí. O crime, que chocou todo o país, que foi praticado pelos dois assassinos mencionado que compõem o clã Acosta de Ypehú. Eles usaram uma arma Calibre 9 mm e espingarda de 12 calibres. Wilmar Acosta Marques foi presso 4 de março de 2015 município de Caarapó, localizado no estado brasileiro de Mato Grosso do Sul, e foi extraditado para Paraguai em 16 de novembro de 2016. No ano seguinte, ele foi condenado a 29 anos de prisão, além de outros 10 como medida de segurança. A sentença foi confirmada pela Câmara de Apelações e pelo O caso está no Supremo Tribunal Federal, pois a defesa interpôs recurso cassação.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.