Sexta, 07 de Agosto de 2020
+595 98274 5952
Polícia policial

Brasileiro simula sua morte no Paraguai para escapar de causa em seu país

O brasileiro Hernandes Oliveira da Silva, conhecido como Mike, é procurado pela Interpol pelo assassinato de três pessoas e pelo narcotráfico, foi preso recentemente em Montevidéo, Uruguai. O homem simulou sua morte em nosso país em junho passado.

28/07/2020 16h51
929
Por: administrador Fonte: poranews
Brasileiro simula sua morte no Paraguai para escapar de causa em seu país

 O brasileiro simulou sua morte no Paraguai em 22 de junho, até um espaço foi pago na seção de serviços funerários de um meio de comunicação local.  Segundo a Rádio Cultura Foz, uma lápide foi feita em um cemitério e a documentação da morte por insuficiência respiratória em Assunção.

 

 O homem foi capturado em Canelones, uma cidade costeira localizada a 40 quilômetros da capital Uruguaia. Mike enviou documentos falsos, mas os agentes reconheceram as fotografias publicadas, além de verificar as impressões digitais.  Os documentos que ele usou foram em nome de Ruan Cortes da Silva.

 

 “Ele fez um esquema de simulação muito bem feito.  Com poder econômico extremamente alto, o suspeito preparou tributos póstumos, com uma lápide no cemitério e tudo mais com o único objetivo de nos enganar e acreditar que ele estava morto.  Mas, mesmo com essas evidências, colocamos o nome dele na Interpol e a prisão ocorreu no Uruguai ”, afirmou a delegada da Divisão de Homicídios e Proteção de Pessoas, Thatiana Guzella.

 

 A busca de Mike está relacionada ao assassinato do ex-policial Samir Skandar e do goleiro Alvari de Paula Silva, em novembro de 2019, além de acusá-lo de ordenar a morte da sérvia Marjan Jocic.  Também ele estaria envolvido no tráfico internacional de drogas.

 

 O detido deu a Samir a ordem de sequestrar e matar uma pessoa chamada Road Runner, mas ele não o fez.  Esse fato teria levantado suspeitos e foi então que descobriram que o homem era policial.

 

 O principal suspeito de executar a morte de Samir e seu funcionário Alvari foi o sérvio identificado como Marjan, que dias depois foi encontrado morto em um lago.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.